Bioarquitetura e Bioconstrução

A preocupação com o meio ambiente está cada vez maior e com isso, a busca por meios que ajudem a manter o nosso planeta mais saudável e mais vivo, é muito mais eficiente para todos. A bioarquitetura e a bioconstrução ganharam um espaço muito maior na sociedade, principalmente com quem vive a sustentabilidade a todo tempo. Conhecer um pouco sobre esse ramos faz toda a diferença se você se preocupa com o meio ambiente.

Então vamos conhecer um pouco mais sobre assunto, conhecendo também os conceitos e os tipos de bioconstrução e bioarquitetura. Dessa forma você com certeza vai entender porque faz tanta diferença usar esses métodos na hora de construir ou reformar uma casa. Você também poderá perceber que quem pensa que essas técnicas são recentes, está completamente enganado pois existem técnicas que datam mais de 7 mil anos.

Bioarquitetura

A bioarquitetura tem como objetivo, a construção de imóveis em harmonia total com a natureza e faz com que estas construções causem um baixo ou nulo impacto ambiental. Os custos de operação desse tipo de trabalho são também bem reduzidos.

Os primeiros projetos envolvendo a bioarquitetura começaram a aparecer durante a década de 1960 quando eram feitas decorações com técnicas mais sustentáveis como o uso do tijolo adobe, do cimento queimado, da taipa de pilão, entre outras técnicas que foram se popularizando com o tempo.

Essas matérias primas naturais eram de uso quase que obrigatório quando se falava em uma arquitetura mais sustentável para um ambiente, principalmente se os materiais utilizados fossem recicláveis, oriundos de fontes renováveis e/ou que não destruísse a natureza em benefício próprio. Por esse motivo era comum ver nessa época muitas decorações feitas com bambu, palha ou madeira reflorestada. Materiais que não eram naturais mas que emitiam um impacto ecológico de pequeno grau em sua fabricação.

Assim como eram utilizadas matérias primas mais naturais, a mão de obra também era de preferência as locais, pois isso evitava o descontrole da economia e do desemprego em determinada região. Além de tudo isso, ainda incentivada a instrução das pessoas de um determinado local e incentivava ainda mais o desenvolvimento econômico de determinadas áreas de atuação.

A bioarquitetura visa muito que os empreendimentos sejam favoráveis ao meio ambiente tanto antes de sua construção, passando para durante até depois de construídos, como evitar a emissão de poluentes que tanto agridem a nossa atmosfera e prejudicam o nosso planeta. Os sistemas de iluminação e ventilação devem ser sempre naturais e os equipamentos utilizados para manter esses detalhes também são gerados de fontes renováveis. Os maiores detalhes são aparelhagem de aquecimento de agua feito por painéis solares, sistemas de captação de água da chuva assim como o seu reuso para alimentar a região ou aquele empreendimento em questão.

Bioconstrução

Quando falamos em bioconstrução, nos referimos a basicamente a mesma preocupação ecológica que existe com a bioarquitetura, com a diferença que nesse caso, a preocupação parte desde o primeiro tipo de tijolo que é colocado no empreendimento.

As bioconstruções utilizam apenas materiais que não agridem o meio ambiente desde novos até quando estão com tempo de uso mais avançado. Se possível, esses materiais utilizados até ajudam a melhorar o nosso ambiente, sendo a maioria deles, reciclados. Usando materiais especiais, a bioconstrução faz com que os materiais causem um mínimo impacto no ambiente e dessa forma, mantenha o equilíbrio na natureza. Por isso a preferência pelo reaproveitamento de recursos.

Esses materiais são retirados em sua maioria da natureza, como por exemplo a coleta de águas pluviais que são utilizadas para manter a construção do empreendimento, uso de fontes de energia renováveis e que não causem nenhum tipo de poluição ao planeta para ajudar na iluminação da construção, além de aproveitar o máximo da iluminação natural.

Mas quem pensa que a bioconstrução envolve apenas o material em si que será utilizado durante a construção de uma casa, por exemplo, engana-se totalmente. A bioconstrução entra no processo até mesmo na produção da mobília que será utilizada para decorar aquele ambiente, afinal não adianta você usar essa técnica para construir a sua casa e quando for mobiliar o lugar, usar os mais modernos e poluentes produtos e levar uma vida totalmente despreocupada com a vida do nosso planeta.

A bioconstrução é a forma que profissionais utilizam para construir um ambiente buscando harmonizar uma edificação com o ambiente onde ela está localizada, de forma que desde o primeiro momento de construção até o estilo de vida que será levado pelos moradores.

Métodos de Bioconstrução e Bioarquitetura

Existem diversos métodos que são utilizados para a bioconstrução e a bioarquitetura e para que você entenda melhor o que são, escolhemos alguns desses principais métodos e desde quando eles são aplicados na nossa sociedade.

  • Cob – Essa técnica consiste na modelação da terra feita diretamente em uma massa preparada em estado plástico. Pode também ser utilizado o empilhamento de bolas de terra que depois são moldadas até atingirem um formato desejado. É uma das técnicas mais antigas que existe de bioconstrução e foi inicialmente utilizada na África e na Ásia, chegando até a Inglaterra, onde recebeu esse nome e chegou até a França onde é chamado de Bauge, nos séculos XV a XIX.
  • Taipa Continua – também chamada de Hiperadobe, é uma técnica onde as paredes de uma construção são erguidas com uma tela vasada e preenchida com terra local.
  • Taipa de mão ou taipa de pau-a-pique – a técnica da taipa de mão utiliza a terra como principal elemento para preencher as estruturas das construções de madeiras ou outros tipos de materiais vegetais, como o bambu por exemplo. Essa técnica pode ser aplicada tanto na parte interna de uma construção como na parte externa e sem a necessidade de um outra estrutura.
  • Pintura Natural – é uma pintura feita com tinta natural produzida a partir da terra. Quando é utilizado para pintar áreas internas, essa tinta pode ser preparada com água, grude que é uma mistura de polvilho azedo e soda, e a terra que é escolhida de acordo com a tonalidade que você deseja. dem ser usados dois tipos de tinta natural de terra. Para pinturas exteriores a tinta já é preparada de uma forma diferente, com água, cola branca e terra também na tonalidade que você achar ideal.
Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Construção

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *