Preço dos Imóveis nos EUA Continua Caindo

A crise econômica que assola todo o mundo teve inicio no mercado imobiliário dos Estados Unidos, e enquanto em outros lugares do mundo a economia já da sinais de um certo equilíbrio, a exemplo do mercado imobiliário do Brasil, nos Estados Unidos a crise persiste e afeta sobremaneira o setor imobiliário. A Casa Ideal já não é mais foco lá e quem já tem Sua Casa não pretende trocar. As principais agencias norte-americanas do ramo imobiliário e econômico se detém em fazer analises estatísticas para ver como o mercado imobiliário vem reagindo a crise mundial e assim poderem fazer algumas projeções, mas estas até agora não são muito otimistas. O preço dos imóveis nos Estados Unidos continua caindo, num ritmo desacelerado, mas constante.

Queda no Preço dos Imóveis nos EUA

Queda no Preço dos Imóveis nos EUA

As pesquisas medem os preços das casas e apartamentos residências nas maiores cidades dos EUA, que somou até o final de junho uma depreciação de cerca de 18% no valor dos Imóveis residenciais, no entanto em algumas localidades, como em Phoenis e Las Vegas esses índices ultrapassaram a casa dos 30% e San Francisco, Miami e Detroit tiveram índices de depreciação superiores a 25%. As variações são mensuradas periodicamente buscando sinal de alguma reação do mercado, mas até o momento ele continua caindo em todos os estados e cidades americanas. Com base em estudos e análises estatísticas alguns cientistas econômicos afirmam que os índices deverão cair ainda mais no segundo semestre, e que os preços devem chegar a 40% menor que o valor original, mesmo depois de a economia começar a dar sinais que começa a sair da recessão.

Casas

Casas

Segundo os relatórios apresentados pelos economistas este é o processo normal e através de intrincadas explicações eles discorrem sobre o fator. A grande pergunta que fica é se os Estados Unidos estão preparados para suportar todo este declínio e como isso vai influenciar a economia do resto do mundo? Segundo esta previsão os imóveis residenciais ainda serão desvalorizados cerca de 11% do que se vê hoje. No entanto, apesar dessas previsões pessimistas o que se vê é que a construção civil já começa a reagir tanto nos Estados Unidos como nos demais países afetados, o que se observa com esta desvalorização é um grande numero de hipotecas sendo executadas, ao mesmo tempo em que o pedido de financiamento para casas novas teve uma singela suba. Está difícil encontrar Facilidades de Negociação, afinal a crise abalou muito o setor e mesmo estando com os Espaços Organizados o mercado ainda precisa se restabelecer.

Apartamentos

Apartamentos

Como podemos perceber esses dados revelam que os Estados Unidos ainda enfrentam as conseqüências da crise econômica que teve inicio por lá, e embora as informações sobre desvalorização de imóveis, todos estão Em Busca de Casas novas e enxurrada de hipotecas possam parecer informações contraditórias, são sinal de que o ápice da crise já passou e as coisas começam a se reorganizar. Assim como uma grane onda que passa e leva tudo por diante, depois vem a ressaca e traz de volta, tudo fora do lugar. Vai levar algum tempo, mas com certeza a economia dos Estados Unidos e a economia mundial, assim como o mercado imobiliário estarão mais fortes depois da crise. As estruturas de todos os países afetados estarão solidificadas, e o Brasil especialmente mostra ao mundo que está pronto para caminhar por suas próprias pernas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Notícias

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *