Etiqueta de Eficiência Energética

Ao comprar um eletrodoméstico, você provavelmente já viu uma etiqueta que classifica cada produto em A, B, C, D, E, F e G. Esse sistema foi criado em 1993 como parte do PROCEL, sigla que significa Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, que tem como principal objetivo a criação de soluções para a economiza de energia no Brasil.

Etiqueta de Eficiência Energética

Etiqueta de Eficiência Energética

Cada produto, antes de ser lançado no mercado, passa por uma série de testes realizado em laboratório, a fim de identificar a sua eficiência energética, ou seja, a sua capacidade de funcionar consumindo o mínimo de energia possível. Então, após os testes, o produto recebe um selo que deve ser fixado em todos os itens de mesmo modelo de cada marca, a fim de que o consumidor saiba o quão econômico é o aparelho no ato da compra.

Atenção: Sempre que for comprar um eletrodoméstico, verifique se o mesmo está com a etiqueta. Todas as marcas são obrigadas e colocá-las em um local visível e as lojas são proibidas de ocultar essa etiqueta.

Custo x Benefício

Os aparelhos, como geladeiras, micro-ondas, por exemplo, que contam com a classificação A possuem tecnologias mais avançadas que permitem com que o gasto energético seja menor. Porém, como é de se imaginar, essas tecnologias são mais caras, e, portanto, os aparelhos também. Com isso, os eletrodomésticos com classificação abaixo de B acabam sendo mais baratas.

Entretanto, é importante que você avalie todos os pontos. Por mais que, ao adquirir um aparelho mais barato, você esteja economizando uma quantia considerável, é importante levar em consideração o custo da conta de energia elétrica a longo prazo. Uma geladeira com classificação A é mais cara do que outra que seja B ou C, por exemplo, entretanto, com o passar do tempo, o valor gasto “a mais” acaba sendo pago pelo fato de a conta vir menor.

A Substituição de Eletrodomésticos Antigos

Existem muitas pessoas que mantêm em casa eletrodomésticos antigos, seja por estima ou para não ter que arcar com os custos de um novo. Entretanto, é importante que seja dito que os aparelhos que hoje são classificados como E, ou seja, que são bem menos econômicos dos que os A e B, ainda assim ganham dos que foram fabricados há mais de 10 anos. Isso porque as marcas estão sempre em busca de tecnologias cada vez mais avançadas e isso faz com que as mudanças sejam tão rápidas.

Portanto, se você ainda conserva a sua máquina de lavar antiga por acreditar que uma nova é cara demais, comece a analisar a sua conta de energia elétrica. Se você substituir todos os eletrodomésticos antigos por novos, a economia pode chegar a metade dos gastos atuais.

Informações Importantes

  • Vida Útil do Eletrodoméstico – Não pense que basta comprar uma geladeira classificada como A para ter economia de energia para o resto da vida. Como dissemos, a tecnologia está em constante evolução, e, além disso, assim como todos produtos, os eletrodomésticos têm um tempo de vida útil. No caso da geladeira, esse tempo costuma ser de dez anos.
  • Classificação do Ar Condicionado – É muito difícil encontrar uma geladeira com classificações mais baixas, entretanto o mesmo não acontece com os aparelhos de ar condicionado. Eles são encontrados com classificação de A até E e, se formos considerar que é um eletrodoméstico naturalmente conhecido por seu alto consumo, é muito importante preferir os mais econômicos, ainda que sejam bem mais caros.
  • Não Há Proibição de Venda: O PROCEL não proíbe que eletrodomésticos com alto consumo de energia, ou seja, aqueles com classificações ruins, sejam vendidos. Apenas é obrigatório que eles contem com a etiqueta para que o consumidor esteja ciente, no ato da compra, que o consumo feito por ele será alto.

Etiqueta de Eficiência Energética Para Edificações

A Etiqueta de Eficiência Energética Para Edificações é um selo criado pela Eletrobrás e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial, o Inmetro, que através dele esperam que os consumidores possam identificar os imóveis para alugar ou para comprar que tenham um consumo baixo e aproveitamento de energia elétrica dentro de novos padrões de economia neste setor. Por enquanto a etiqueta está sendo colocada de forma voluntária e gradual em imóveis residenciais, mas já é obrigatória em prédios públicos e prédios e condomínios comerciais.

Além do benefício para o meio ambiente, o programa tem como objetivo dar ao consumidor condições de se informar sobre o consumo de energia o que na hora de decidir pode influencia bastante. É importante estar atento para saber que está Escolhendo a Casa Certa.

No momento em que na hora da escolha as pessoas passam a optar por um apartamento mobiliado, por uma casa moderna, um escritório que esteja dentro dos padrões exigidos e que tenha etiqueta de eficiência energética para que o consumo de energia seja menor, isto fará com que construtoras e donos de obras se preocupem com detalhes importantes como estes para aos poucos ir melhorando e racionalizando o uso de produtos como energia, água, gás, enfim, tudo que pode ser de ajuda ao meio ambiente.

Protocolos

Segundo levantamento da Eletrobrás os prédios residenciais, públicos e comerciais são os responsáveis pelo consumo de 45% da energia elétrica gasta no país. A arquitetura bioclimática pode gerar uma economia de até 30% deste consumo em prédios antigos desde que passem por um processo de readequação e modernização. casas modernas com etiqueta de eficiência energética, construídas observando os novos padrões podem economizar até 50% em energia. A etiqueta de eficiência energética é um projeto bastante ambicioso, porém de grande importância para o sistema energético brasileiro.

Regras

Na hora de usar a tecnologia para construção torna-se cada vez mais importante dar atenção ao uso de energia alternativa e incentivar isto é um dos objetivos da etiquetagem que segue o mesmo modelo já usado pelo Inmetro para os eletrodomésticos. Este programa já tem mais de 15 anos e vem tendo um grande sucesso pois as pessoas procuram este selo na hora da compra do eletrodoméstico e isso faz com que os fabricantes se atualizem e fabriquem produtos dentro de novos padrões.

Para o recebimento da etiqueta os imóveis terão de ser avaliados em ter níveis, a parte externa do prédio, sistema de condicionamento de ar e sistema de iluminação sendo que cada nível terá classificação que vai de A até E sendo que o A representa a maior eficiência energética. A diferença na economia do A para o E pode chegar a 40%segundo representante do Inmetro.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Notícias

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *