Lubrificante Clay Bar Caseiro

Pintura do Carro

Conforme o tempo passa, é natural que a pintura e o acabamento de um carro tenda a ficar mais áspero ao toque, mesmo após se aplicar cera. Isso acontece devido ao fato de que partículas contaminantes pequenas acabam grudando no automóvel de uma forma bem forte, fazendo com que apenas a lavagem use torne insuficiente para retirá-las.

Contaminantes

Para saber de fato como se tratar da pintura do carro de forma mais eficaz, é importante inicialmente conhecer os problemas. Os chamados contaminantes e suas classificações.

Como já foi dito, a aspereza perceptível no veículo se da pelo acúmulo de contaminantes em sua superfície. Para conseguir diferenciar esses acúmulos de uma simples sujeira, deve-se lavar o carro com bastante cuidado, e enxaguá-lo abundantemente, e assim, com o carro ainda molhado, deve-se passar a mão sobre a superfície. Se a pintura não estiver contaminada, nesse momento a sensação será de uma superfície totalmente lisa e escorregadia. Caso existam pontos mais ásperos, ou até mesmo mais próximos de uma lixa, é sinal de que a pintura está realmente afetada, ou seja, contaminada.

Em alguns casos é possível até mesmo enxergar a contaminação, desde que se olhe atentamente. Normalmente isso é ocasionado por pulverizações de pinturas de outros itens, ou até mesmo alguns pontos de piche. Os contaminantes que são observados a olho nu, em geral são constituídos por partículas orgânicas, como o piche – que já foi citado acima – néctar, ou até mesmo alguns insetos.

O piche é bastante comum, pois é adquirido no dia a dia de trânsito, principalmente em vias novas ou  recém reformadas. O néctar é facilmente observado no verão, já que ele cai de árvores pela a atividade dos insetos. Esse néctar possui uma carga bem alta de açúcar que não é digerido pelos animaizinhos, e por isso se tornam bem difíceis de serem removidos da pintura. Já os insetos são bem comuns principalmente em carros de pessoas que tem o hábito de viajar, principalmente no fim da tarde e no início da noite, já que eles acabam sendo “atropelados” por serem mais incidentes nessa parte do dia.

Enfim, esses contaminantes acabam se acumulando  aos poucos no carro, atrapalhando mais que apenas o brilho da superfície, mas também  o processo de repelência de água e até mesmo uma certa corrosão mais severa da pintura.

Já os contaminantes que não são visíveis a olho nu, na maioria são aquelas de caráter inorgânico e obtidas por meio de atividades industriais e comerciais, fuligens de freios e escapamentos, pulverização de outras tintas, entre outros. Esses itens se aderem a superfície por meios físicos, como atração de carga, ou químicos, por eletrolise. Esses  contaminantes se acumulam com o passar do tempo,  até o ponto em que é possível observar a reflexibilidade e o poder de repelência diminuírem.

Modos Para Descontaminar a Pintura

Quando se deseja remover esses contaminantes, é preciso utilizar uma técnica ideal, já que a lavagem comum é ineficiente. Existem multi limpadores que podem ser usados como solução inicial, mas eles serão eficazes apenas contra resíduos orgânicos. Os inorgânicos geralmente são  insolúveis, então a solução mais extrema pode ser um polimento mais agressivo, ou uma revitalização.

Porém o tratamento mais indicado é o Clay Bar, também conhecido como removedor de piche, ou massinha de descontaminação e ela será apresentada abaixo.

Clay Bar

 O Clay Bar é uma argila, que é formada por uma mistura de resina plástica (ou polibuteno), com partículas abrasivas de vários níveis. A resina funciona como o suporte para passar os abrasivos pela superfície de modo uniforme. Desse modo, os abrasivos presentes no Clay Bar podem raspar os contaminantes que estão em cima da pintura, enquanto a massinha é deslizada. Assim, os contaminantes saem do verniz e se juntam a Clay Bar.

É bem importante que nesse processo se use um lubrificante, que tem como principal função a remoção dos resíduos, sem danificar a pintura. Os passos para fazer a descontaminação da pintura do carro será apresentada logo abaixo.

  • Inicialmente, deve se pegar uma parte da Clay Bar e fazer uma espécie de molde sobre os dedos das mãos.
  • Com a superfície totalmente limpa e seca, e com o carro na sombra, deve se aplicar um lubrificante, pelos motivos apresentados acima . – Esse lubrificante pode ser comprado pronto, ou pode ser utilizado uma solução caseira, que será apresentada abaixo.
  • Em seguida pode-se utilizar a Clay Bar em movimentos de vai e vem, fazendo uma certa pressão em cima da pintura. E conforme for se realizando os movimentos, deve-se aplicar novamente o lubrificante, principalmente quando se perceber uma certa dificuldade no movimento.
  • Aos poucos se deve ir observando a sujeira presa a Clay Bar. Quando ela estiver muito forte, deve-se dobrá-la e usar uma parte limpa.
  • Com o processo finalizado, o ideal é higienizar a superfície com um pano de microfibra. Quando houver outra contaminação, basta repetir o processo.

Lubrificante Clay Bar caseiro

O lubrificante é de extrema importância na descontaminação da pintura do carro, já que ela evita qualquer danificação severa na mesma. O lubrificante é vendido separadamente da Clay Bar, porém existe um modo de se usar uma solução caseira.

Essa solução consiste na mistura de duas gotas (ou dois ml) de algum tipo de shampoo automotivo e 400 ml de água, utilizando normalmente.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Dicas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *