Voltagens e Energia: Conselhos Importantes Para Evitar Acidentes

Voltagens

A energia elétrica é distribuída em 127 Volts ou 220 Volts conforme a região.

Antes de ligar qualquer aparelho à energia elétrica você deve saber qual a voltagem naquele local (127V ou 220V) e a voltagem do aparelho.

Um aparelho não pode funcionar em outra voltagem que aquela indicada em seu corpo.

Porém existem eletrodomésticos com “bi-voltagem” automáticos ou com uma pequena chave que deverá ser colocada na posição correta, antes de ligados à tomada…

Pode ser usado também um transformador de voltagem para produzir a voltagem certa que o aparelho exige.

Rede em 220 Volts

A rede em 220 volts constituída de apenas dois condutores, sendo uma fase e outro neutro, também é conhecida por alguns eletricistas como “Padrão Britânico”, pois na Inglaterra, país Europeu, é utilizado essa forma de alimentação elétrica com uma diferença apenas da usada aqui no Brasil, especialmente em alguns estados da região sul.

A diferença está na frequência em ciclos, pois lá na Inglaterra é de 50 ciclos (Hertz), e aqui no Brasil é utilizada a frequência em 60 ciclos (Hertz).
Um exemplo simples disso é que se você tiver um rádio relógio comprado no Reino Unido (Inglaterra) e fabricado para 50 Hertz, em 127 ou 220 volts, e aqui no Brasil sendo usado, ele estaria sempre adiantando a hora indefinidamente, pois nossa ciclagem é 60 Hertz.

Esse tipo de padrão é MONOFÁSICO a dois fios, sendo uma fase e um neutro, e a fase tem uma tensão de 220 volts tanto na Inglaterra quanto aqui no Brasil (região Sul).

A forma de geração de 220 volts em apenas um condutor mais o neutro é através de um transformador onde acontece o fenômeno da conversão de rede de alta tensão para rede de baixa tensão através da indução eletromagnética entre as bobinas.

Rede de Alta Tensão (Cabos) e Transformador Para Baixa Tensão

Exemplo da relação de espiras
(fio enrolado em uma bobina) dentro do transformador.

Em outras áreas do Brasil a rede em 220 volts é a três fios, sendo duas fases com 127 volts em cada uma e mais o condutor neutro, para que possa ser instalada uma rede em 127 volts separadamente, apenas utilizando uma das fases e o condutor neutro.
E assim a facilidade em ter duas formas de rede, uma em 220 volts utilizando as duas fases somente, e outra utilizando uma das fases e o neutro.
O que não acontece na região sul e na maioria dos estados da região nordeste do Brasil, pois nesses lugares foi adotada a rede elétrica em 220 volts, com diferenças entre elas, de estado para estado.

A instalação do medidor não difere de nenhuma outra existente no nosso país, pois o neutro de entrada é aterrado para a proteção do próprio medidor, não servindo esse aterramento para neutralizar possíveis fugas de corrente nos equipamentos internos da residência.

Imagem de Amostra do You Tube

Para você aterrar suas tomadas e consequentemente seus equipamentos elétricos, torna-se necessário a instalação de uma rede de aterramento própria, executada pelo usuário desta rede.

Se for utilizado o aterramento que está protegendo o medidor, simplesmente estará sendo utilizado o condutor neutro diretamente no lugar do condutor terra, o que não estará correto, pois em alguns casos específicos, determinados tipos de equipamentos eletrônicos aterrados assim, poderão até entrar em curto e queimar.

Não use o aterramento do medidor para seus Equipamentos Elétricos ou Eletrônicos.

Veja nos links do Faz Fácil, a forma correta em instalar sua rede própria de aterramento independente do aterramento que a Cia. Distribuidora local utiliza para proteger seus medidores.

Transmissão e Distribuição da Energia Elétrica

Sabemos que a energia elétrica utilizada em nossas casas, nas indústrias, etc. chega até nós por meio de uma corrente alternada.

Esta corrente é produzida nas grandes centrais elétricas por geradores. Estes geradores nada mais são do que dispositivos que transformam uma forma qualquer de energia em energia elétrica. Em uma usina hidrelétrica, por exemplo, a energia mecânica da queda d´àgua é usada para colocar o gerador em rotação e, portanto, nestas usinas, temos a transformação de energia mecânica em energia elétrica.

Nas usinas termelétricas, o gerador é acionado pelo vapor d´àgua que sai de uma caldeira aquecida. Para aquecer esta caldeira, utiliza-se o calor desenvolvido na combustão de óleo ou carvão e, assim, nestas usinas temos a transformação da energia térmica em energia elétrica. As usinas nucleares funcionam da mesma maneira que uma usina termelétrica, com a única diferença que o calor utilizado para produzir o vapor que aciona o gerador é obtido por meio de reações nucleares que se desenvolvem em um reator atômico. Portanto, nestas usinas, temos a transformação de energia nuclear em energia elétrica.

Por Que a Transmissão de Energia Elétrica é Feita com Alta Voltagem

Qualquer que seja o tipo de usina escolhido para produção de energia elétrica, em qualquer parte do mundo, ela sempre será construída, como dissemos, para gerar corrente alternada. Procuraremos mostrar, a seguir, o motivo desta escolha, isto é, porque não se usa a corrente contínua para distribuir a energia elétrica produzida nas grandes usinas de qualquer país.

O motivo preponderante desta escolha está relacionado com as perdas de energia, por efeito Joule, que ocorrem nos fios usados para transportar a corrente elétrica a longas distâncias.
Para analisar este fato, consideramos a fig. 25-34, na qual vemos um gerador produzindo energia elétrica, que é transportada pelos fios AC eBD, para ser utilizada na rede elétrica de uma residência. Sendo Vab a voltagem entre os pólos do gerador e i a corrente nos fios, a potência fornecida pelo gerador é P1 = i Vab.

Assim, para transmissão em corrente contínua, os geradores devem ainda ser de voltagem alternada, e só depois que esta voltagem é aumentada por meio dos transformadores é que ela é retificada para ser transmitida. Ao chegar ao local de consumo, a corrente contínua deve ser transformada novamente em corrente alternada para que sua voltagem possa ser reduzida antes de ser distribuída. É claro que todas estas transmissões a longas distâncias as economias feitas com os cabos poderão compensar estes custos. Em países de grandes dimensões, como a União Soviética, os Estados Unidos e o Brasil, essas condiçoes são fáceis de ocorrer e, por isso mesmo, o sistema de transmissão com corrente contínua já se encontra em implantação nestes países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>