Como Planejar o Custo de uma Obra

Fazer uma reforma em casa sempre vem com alguns detalhes trabalhosos. É barulho, é sujeira e sempre falar naquele desconforto que existe de entrada e saída de operários e sem local certo de descanso. Quando é uma pequena reforma que não precisa tanta mudança dentro de casa, em poucos dias tudo volta ao normal, porém existem aquelas que duram semanas e podem chegar até um mês inteiro.

Independente do tempo que vá durar uma reforma, ela tem que ser devidamente programada. Os fatores são inúmeros, a começar pelos gastos, seguindo pela segurança entre outros tantos motivos comuns que nos leva a organizar algo. Uma reforma sem planejamento pode ter diversas consequências que pode ir de gastos inesperados até falta de segurança na obra o que pode gerar acidentes ou até mesmo uma multa caso um órgão faça a vistoria.

Então se você pensa em reforma a sua casa ou o seu apartamento e não sabe por onde começar nós vamos dar algumas dicas de planejamentos que envolvem os custos para que você fique mais orientado e não saia fazendo compra de material ou gastando com profissional sem precisar.

Por Onde Realmente Começar

Muitas pessoas erram quando fazem um planejamento de seus gastos, por dois pequenos e importantes detalhes: precaução e superficialidade. Vamos entender melhor cada um deles então.

Quando se pretende fazer uma reforma, o que fazemos? Colocamos no papel todos os gastos que vamos ter na reforma, correto? Errado! Colocamos no papel, apenas os gastos que vamos ter com a obra! Mas então você se pergunta, “Qual a diferença afinal”? É bem simples! Você não deve orçamentar sua obra em cima apenas de material de construção e contratação de operários, o correto é você orçamentar com isso e colocar possíveis incidentes como a quebra de instrumentos de reforma como ferramentas, escadas, pincéis, etc, deve ainda colocar nos gastos, um possível gasto com material em caso de extravio, etc. Você não precisa comprar nada sobrando, mas é importante ter um dinheiro reservado para esses possíveis gastos. Por isso a precaução, citada.

Quando falamos em superficialidade, falamos basicamente dos mesmos problemas que foram citados mais acima. Temos uma mania imensa de não nos precaver e dessa forma, comprar tudo superficialmente, o que pode ocasionar gastos extras como já foi mencionado. Mas quando falamos de superficialidade, falamos também da falta de um planejamento de fato, por escrito dos gastos. Temos a mania de mentalmente imaginar quanto vamos gastar com aquela obra e não ir para o papel e calculadora fazer todas e devidas somas.

Então antes de tudo. Caneta, papel e calculadora em mãos, e claro, não deixe passar nenhum detalhe do seu orçamento. Feito isso, compare com o que você tem reservado para sua reforma, caso caiba no seu orçamento é só iniciar a reforma, se sobrar gastos e faltar dinheiro, tente fazer um comparativo de qualidade e preço dos materiais e serviços prestados.

Estudando a Construção

Todos nós sabemos muito bem que para saber muito sobre construção civil você precisa estudar e fazer um curso direcionado à isso, mas mesmo não sendo um engenheiro, arquiteto ou similar, você pode e deve saber sobre o que vai mudar na sua casa. Conhecer um pouco sobre o que será feito na sua obra é importante tanto para evitar acidentes como também não correr o risco de contratar um profissional ludibriador.

Existem diversos livros e revistas sobre o assunto. No livro “Planejamento e Controle da Produção para Empresas de Construção Civil” do engenheiro civil Maurício Moreira e Silva Bernardes, por exemplo, ele ensina como diminuir até 15% do valor da sua obra, apenas com planejamento. Entendemos que o livro é muito direcionado à grandes empresas e grandes construções, mas você tem um conteúdo muito direcionado aos gastos de uma obra e isso independe de tamanho quando se fala em planejamento.

O Segredo é Pechinchar!

Não existe boa compra sem pechincha. Aquela pessoa que não argumenta ou  pesquisa, corre o risco de gastar muito mais e isso é independente de ser em construção ou não. Então antes de comprar o seu material, pesquise. Procurar lojas pela sua cidade, mesmo que não seja aquela mais próxima à sua casa, verificar com parentes e amigos se existe alguma indicação de comércio para venda mais barata do material ou até mesmo a indicação daquele profissional de responsabilidade e que não cobra muito caro por seus serviços.

Evite também comprar o material por etapas. Esse caso só se aplica se você for estocar o material antes de fazer a reforma, mas se você já reservou o dinheiro todo, tente comprar o máximo de material na mesma loja, pois isso provavelmente dará à você a chance de ganhar um desconto. Veja também sobre as marcas do material comprado. Sabemos que comprar material de qualidade ruim para uma reforma não é aconselhável, mas existem casos de produtos que tem um preço bem menor do que aquele mais conhecido e tem qualidade igual ou superior a este.

Contratação de Mão de Obra

Essa é outra questão que pode encarecer e muito a sua obra. Contratar uma empresa nem sempre está nos planos de quem vai reformar a casa, porém em muitos casos, é mais viável você pagar um pouco mais por aquele time de profissionais devidamente treinados, do que gastar com um profissional terceirizado e que não tem os conhecimentos devidos.

Antes de contratar qualquer operário para sua obra, dê preferência àqueles indicados por família ou amigos. Se não tiver nenhuma indicação desses, peça uma referência ao profissional e de preferência queira conhecer o trabalho deste.

Evite também gastar com diárias ou contratos boca a boca. Formalize tudo o que você precisa que o profissional realize e o valor acertado por vocês. Isso evita inconveniências e cobranças extras durante a reforma. Mesmo o seu contrato não tendo validade legal, você terá um comprovante de quanto ficou acertado e do que deve ser feito para que posteriormente você possa cobrar por esse serviço prestado.

Como vocês podem perceber independente do motivo, o planejamento sempre gira em torno de tudo. Então jamais deixe de planejar tudo nos mínimos detalhes para evitar dores de cabeça na hora da reforma.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Reforma

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *