Erros Comuns em Projetos de Casas

Muitas pessoas sempre perguntam: o que pode dar errado durante a construção de uma casa? Certamente a resposta é: tudo o que não foi planejado adequadamente ou que foi deixado de lado por não parecer importante.

Erros Comuns em Projetos de Casa

Os erros de projetos podem ser vistos facilmente não apenas em casas, mas ainda em apartamentos, pois são detalhes ou coisas grandes, que foram sendo proteladas ou ignoradas, como se não fizessem diferença no produto final.

Maus projetos: Quando se fazer partir para a construção de apartamentos e casas é necessário que se elabore um projeto tem como objetivo fazer a identificação das potencialidades da área, de moda que seja possível suprir as necessidades de quem vai morar lá. Os erros mais habituais dos projetos de apartamentos e casas podem causar prejuízos e em muitos casos, levar a pessoa a ter de fazer modificações no imóvel logo depois da construção.

Deixar de considerar a posição do sol: O sol é um instrumento fundamental para se montar uma estratégia de construção. O sol que desponta pela é importante para as áreas de serviço, por isso é importante que ele bata na lavanderia, enquanto que o sol da tarde precisa ser evitado nas paredes dos quartos. Como o uso do sol gerará impactos em sua casa? Não levar isso em consideração é um problema que deve ser evitado.

Deixar de pensar na ventilação: O uso correto da ventilação pode trazer maior frescor ao ambiente, o que pode acarretar num menor consumo de energia elétrica com ar condicionado e ventiladores. Apesar de muita gente não dar importância, algumas modificações podem ser suficientes para deixar um ambiente mais agradável, sem que se necessite partir para o uso de produtos eletrodomésticos.

Errar no quesito iluminação: Iluminação é outro fator que precisa de atenção. Uma casa onde a iluminação não é bem pensada, também acabará tendo que ficar com a luz elétrica ativa o dia todo. Por isso, pensar em maneiras de se usar a luz natural é uma forma de economizar a ainda colaborar com o meio ambiente.

Não pensar na possibilidade de se usar conduites separados: comunicação e energia. Conduites para se passar a fiação de energia elétrica não devem ser usados para os demais cabos, como os de comunicação, TV, internet e telefone. Errar nesse quesito poderá ocasionar quebra futuras de parede depois da construção já concluída. Deixe que os conduites sejam separados para prevenir futuros problemas.

A pressa é inimiga da perfeição: esse é um ditado que vale bastante na hora da construção. Ter muita pressa na hora da elaboração do projeto pode ocasionar problemas de um projeto falho e incompleto. Isto poderá causar inúmeros prejuízos futuros, quando a construção já estiver concluída.

Falta de projeto: dar início a uma obra sem ter definido um projeto é uma falha bastante grave e ainda bastante habitual, logo que se reforma ou constrói uma casa. A falta de um orçamento preestabelecido e de um planejamento concreto é a causa de grande parte dos problemas de uma construção.

Especialistas explicam que o projeto não pode ser visto como um tipo de formalidade, e sim uma forma segura contra imprevistos. Ele ajuda a detalhar e especificar todos os itens que fazem parte da intervenção construtiva. Durante a etapa de planejamento, também precisa ser elaborado o cronograma que ajudará na execução dos trabalhos que vão desde o alicerce até o acabamento.

Uso errado de materiais: os revestimentos em madeira, sem que receba os adequados tratamentos, para lugares em que estejam sujeitos a receber água, os pisos polidos e que escorregam com facilidade, sendo aplicados em ambientes de fora da casa, materiais que tenham duvidosa qualidade.

Estes são alguns dos erros que podem aparecer durante uma construção ou reforma, quase sempre, oriundos da falta de gestão técnica por parte dos proprietários do imóvel. Erros dessa ordem tendem a comprometer totalmente a segurança dos moradores e ainda corromper a durabilidade da construção, gerando muito mais gastos, e atraso no término da obra.

Por isso é importante a presença de um arquiteto durante toda construção ou reforma. Esse profissional precisa sempre ajudar o proprietário na escolha dos melhores materiais e ainda aqueles que são próprios para cada ambiente.

Errar no cálculo da quantidade de material: é comum aparecem erros durante o cálculo dos materiais a serem usados na obra. Entretanto, em se tratando de revestimentos como pastilhas, porcelanatos e cerâmicas, avaliações erradas acabam exigindo a aquisição de produtos de lotes diferenciados que, diversas vezes, apresentam diferença de tamanho e de tonalidade.

Existem casos em que o produto pode acabar saindo de linha, causando maior dificuldade para se fazer uma complementação no trabalho. Para diminuir as perdas ou ainda não acabar recebendo surpresas pela falta de material, é aconselhável fazer a base de calculo de acordo com o projeto da edificação.

No caso de porcelanatos e cerâmicas, por exemplo, faça o calculo da área a ser coberta, descontando janelas e portas e também considerar o posicionamento e dimensão das placas. Para se conseguir uma margem de segurança mais adequada, compre sempre 10% do produto a mais.

Ater-se apenas aos revestimentos e móveis e esquecer-se das instalações hidráulicas e elétricas: administrar somente a parte à mostra do projeto é bem mais interessante do que se ater aquilo que se encontra escondido dentro de paredes e sob o piso.

Entretanto, atente-se a isso, já que projetos bons de hidráulica e de elétrica, feitos conforme as normas de segurança e dimensionados de acordo, são importantes para a segurança e conforto dos moradores. O melhor é que a construção ou reforma seja direcionada por um profissional habilitado e especializados nessas questões.

Deficiência na Iluminação: Nem mesmo a mais eficiente e bonita das decorações funciona sem que haja iluminação adequada, que proporcione maior destaque aos pontos fortes e gere um cenário diferenciado no ambiente.

Há três erros bastante comuns ligados à luminotécnica: excesso ou falta de iluminação, utilização demasiada de luz branca em lugares que pedem iluminação em cores mais quentes e uso de inadequadas lâmpadas para determinado ambiente.

Não é recomendado, por exemplo, usar lâmpadas que causem calor, como as dicroicas, em cima das pessoas, como em camas, sofás ou ambiente de prolongada estadia, isso atrapalha bastante na questão de conforto.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Projetos

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *