Classes Emergentes no Mercado Imobiliário

Perfil brasileiro

O perfil dos consumidores brasileiros está mudando nos últimos anos, e a nova configuração é resultado da incorporação no mercado das classes de poder aquisitivo menor. Diversas pesquisas de cunho econômico e comercial têm sido realizadas e os resultados são apresentados em feiras e congressos nacionais e internacionais das respectivas categorias. Todos os segmentos do mercado formal e informal sentem esta mudança e organizações do mercado imobiliário também realizaram estudos do novo panorama nacional nas diversas regiões do país, sob a perspectiva do mercado imobiliário e as classes emergentes C e D. 

Classes Emergentes no Mercado Imobiliário

Classes Emergentes no Mercado Imobiliário

Perfil imobiliário das classes econômicas C e D

Em estudos recentemente realizados pelo Instituto Data Popular verificou-se que anualmente se formam cerca de 1,2 milhões de famílias no Brasil, sendo que 80% desses novos casais se enquadram nas classes de baixa renda, cerca de 16% pagam aluguel como investimento e o restante vivem com os pais ou com os sogros, aumentando a fileira dos casais que sonham com a casa ideal. O estudo ainda revela outros dados interessantes para o mercado, como que os jovens casais de baixa renda têm preferência de continuar no mesmo bairro, e provavelmente vão comprar um único imóvel em suas vidas, e para a compra da sua casa própria procura uma imobiliária de imóveis ou construtora que possa lhe auxiliar em todas as etapas do processo aquisitivo, que seja confiável, transparente e parceira para a realização do sonho da casa própria. Além desses dados estatísticos o estudo do Data Popular revelou que essas novas famílias serão a base do mercado imobiliário nacional nos próximos 10 anos, e se constituirão numa grande e forte demanda do setor. Compreender as necessidades e o perfil desse novo grupo de consumidores é de vital importância para as construtoras e para as imobiliárias.

Apartamento

Apartamento

Perspectivas do mercado imobiliário

O mercado imobiliário, ante o poder de compra das classes chamadas emergentes, está rapidamente focando suas ações para atender esta nova demanda, que deve ser responsável por uma boa quota parte do mercado imobiliário nos próximos anos. Essa ascensão ao mercado imobiliário e a compra da casa própria já foi sentida no primeiro semestre de 2009, e fortalecida com o programa do Governo Federal Minha Casa, Minha Vida.

Imóveis

Imóveis

Com juros mais baixos e prazos mais longos as famílias de baixa renda que se vêem em condições de comprar a sua casa própria vão direto ao que lhes interessa, não buscam alternativas o que faz com que o mercado desse segmento esteja explodindo e  os empreendimentos lançados são rapidamente vendidos. Nesse contexto um corretor imobiliário dá o exemplo de um apartamento em São Paulo, com preço médio de cerca de R$ 98,5 mil, com 2 dormitórios, que o comprador adquiriu através de um empréstimo que vai ser pago em 25 anos com prestações de até R$ 300. Salienta-se que o aluguel em uma favela paulista pode custar cerca de R$ 500.

Com base nesse e em muitos outros estudos realizados, o mercado imobiliário esta se preparando para atender a demanda desse novo público de consumidores e a oferta de imóveis populares deve aumentar muito nos próximos anos, aquecendo as vendas do setor em busca de casas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Notícias

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *