Como Ter Uma Piscina em Casa

O Brasil é um país com um verão bastante intenso e para enfrentar as altas temperaturas impostas nessa estação nada melhor do que ter uma piscina em casa. Se você está pensando sobre investir nessa estrutura de conforto para o seu lar saiba como começar o planejamento.

Muito mais do que ter um espaço para colocar a sua piscina é importante saber planejar a construção da mesma. Uma primeira dica é começar o projeto de construção durante o inverno em especial nas regiões sul e sudeste do Brasil, pois nessa época do ano chove menos e dessa forma as obras podem ser finalizadas com mais rapidez. Além disso, você pode aproveitar a obra pronta no verão.

O Planejamento Para Ter Uma Piscina em Casa

Os Componentes de Uma Piscina

Para que a sua ideia de ter uma piscina em casa possa ser levada adiante é muito importante contar com um projeto consistente para tal. A primeira coisa a pensar a respeito é que existem diferentes tipos de piscina que devem ser construídas de formas diferentes.

Apesar dessas diferenças podemos citar alguns itens como sendo comuns a todas as piscinas, são eles: a estrutura, o revestimento, a impermeabilização e a filtragem. Não tem como você pensar na sua piscina sem levar em consideração esses itens.

A Estrutura

O projeto de construção da sua piscina deve ser feito por um arquiteto profissional para que ele possa assinalar todos os pontos necessários. Uma piscina pode ter diferentes tipos de estrutura, os mais comuns de serem utilizados no Brasil são os de concreto armado, alvenaria estrutural e os pré-moldados como, por exemplo, as piscinas cujas estruturas são feitas de fibra de vidro.

Piscina – Uma Construção

Independente do sistema que você escolha deve ter sempre bem claro de que uma piscina é uma construção da mesma forma que o seu quarto ou a cozinha, por exemplo. Saiba ainda que o fato de a piscina estar enterrada não facilita em nada, ao contrário apenas complica, pois quando vazia a piscina precisa suportar a pressão da terra que está no seu entorno como se fosse um tipo de subsolo raso.

Os modelos de piscinas construídas são as mais comuns e podem ser usados desde residências até clubes. Quando se conta com um projeto consistente de arquitetura e um bom trabalho de engenharia diversas ideias podem ganhar vida, ou seja, piscinas com várias profundidades e formatos.

Como São Feitas Piscinas Construídas

A construção de uma piscina construída começa com a escavação que pode ser feita manualmente ou com o auxílio de máquinas que são adequadas para isso (quando o terreno permite). Após o espaço estar escavado a sua estrutura começa a ser montada e a escolha de que tipo de estrutura (se concreto armado, alvenaria estrutural ou outro) depende do projeto e também dos cálculos realizados pelos engenheiros.

Piscinas de Fibra

A piscina de fibra é uma das mais utilizadas devido ao fato de ser mais barata e também porque a sua execução é bem mais rápida. O que não é tão atraente é a limitação de modelos a que se está sujeito. O tanque desse tipo de piscina tem acabamento de fibra de vidro o que faz com que fique um pouco mais raso do que os outros sistemas.

Esse tipo de piscina também exige a realização de uma escavação que pode ser manual ou mecânica. O passo seguinte a escavação é preparar uma base de concreto sobre a qual o tanque permanecerá apoiado. Um pouco da terra que foi retirada durante a escavação é utilizada para preencher os vãos que se formam nas laterais após o taque de fibra ter sido colocado no lugar. Com poucos passos e pouco tempo essa piscina está instalada.

A Impermeabilização

Uma das vantagens de escolher uma piscina de fibra de vidro é o fato de que elas já vêm impermeabilizadas. Dessa forma a água que está dentro da piscina apenas irá vazar se houver algum furo no tanque. As piscinas construídas como as de concreto, alvenaria armada ou outros precisam ser impermeabilizadas.

Podemos comparar essa impermeabilização com a realização de uma laje de cobertura. É possível fazer esse processo de formas e com produtos diferentes, dentre as formas mais comuns estão manta asfáltica ou pintura impermeabilizante. É essencial que exista uma camada de proteção da impermeabilização e um revestimento final. Isso vai garantir que a sua piscina dure mais tempo, evita vazamentos e outros problemas.

Os Revestimentos

Existe uma grande gama de alternativas de revestimentos para piscinas. Quem optou por uma piscina pré-moldada tem esse revestimento na própria fibra de vidro do tanque. As piscinas podem ser revestidas com azulejos, pedras, tesselas de vidro, mosaico e pastilhas cerâmicas que podem ser esmaltadas ou não, mais ou menos como áreas molhadas de dentro de casa como o banheiro e a cozinha.

Quando se está escolhendo os revestimentos da piscina é importante sempre pensar no acabamento de quina, ou seja, o encontro entre o revestimento da piscina e a sua borda. Também se deve considerara a borda da piscina e os seus arredores. Você pode utilizar pedras, materiais atérmicos, fulget e outras alternativas.

A Filtragem

Independente do tipo de construção que você tenha escolhido é importante que a sua piscina tenha um bom sistema de filtragem. Em geral esses sistemas são bem parecidos em conceito. É possível encontrar uma grande variedade de fabricantes e produtos diferentes, entretanto, o raciocínio é o mesmo.

Sua piscina deve ter um ralo de fundo e um sistema que deixe a água sempre em circulação. Para isso é essencial ter uma bomba de água e um sistema de filtragem, os que são mais comuns são os filtros de areia, porém, existem outras opções. O tamanho da bomba e do filtro tem uma relação direta com o volume de água que a piscina possui. Na loja do equipamento é possível que te ajudem a fazer esse cálculo com mais facilidade.

O papel da bomba nesse sistema é fazer com que a água circule pelos retornos que são aqueles bocais que ficam localizados nas paredes da piscina. Esses bocais ficam posicionados de maneira a fazer com que a água circule em direção ao ralo de fundo que manda para o filtro onde é feito o tratamento da água que volta para o tanque.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Área Externa

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *